Anubis, o Deus da Passagem

Abre Aspas

A morte para os antigos egípcios era uma passagem para o outro mundo, que eles chamavam de Amduat.
Com cabeça de cachorro preto, a função do Anubis estava ligada à preparação do ‘passageiro’ para a grande viagem.
O Deus participava da mumificação do corpo – que precisava estar completo – e acompanhava a alma do morto por um passeio descrito e ilustrado no Livro dos Mortos.
Durante a Jornada, Anubis conduzia o ‘passageiro’ até a cerimônia do peso do coração (ib), onde o deus da Sabedoria (Toth) fazia perguntas sobre a vida dele como:
“Você cobiçou a mulher do próximo?”
“Você matou alguém?”
“Você fez xixi no Nilo?”
Se alguma resposta fosse positiva (ou mentirosa), o coração era oferecido ao Deus Amut, o monstro devorador de corações e a jornada terminava.
Se as respostas fossem corretas, o morto era apresentado ao Deus Osíris que abria as portas para o outro mundo.

O Anubis representa um ciclo que se fechou e um caminho cheio de obstáculos e oportunidades para um novo ciclo que se abre.

Morrer é passar daqui pra lá.